DESTAQUE-Foto-03---Associação-Drywall---divulgação-jpg

Drywall, a evolução da parede

Se quando você pensa em parede o que vem à tona é um monte de tijolo e argamassa, está mais do que na hora de rever os seus conceitos. A novidade veio de fora, tem nome gringo e está presente nas obras de engenharia mais modernas do Brasil. O drywall é um sistema de paredes concebido para garantir aos moradores e usuários segurança, conforto e privacidade. Composto por uma estrutura de aço galvanizado e chapas de gesso acartonado, conquistou seu espaço no mercado da construção civil pela facilidade de manuseio, durabilidade e pelo satisfatório resultado final: paredes lisas e aprumadas.

Este modelo industrializado é amplamente adotado no exterior. No Brasil entretanto, chegou há cerca de 30 anos e vem mudando o conceito de paredes por ser limpo, sustentável, racional e de fácil montagem. Segundo a Associação Brasileira do Drywall, a aceitação por parte dos usuários finais de residências e imóveis comerciais, é total. Prova disso é que a utilização do sistema no mercado brasileiro continua crescendo acima dos índices de expansão da construção civil. Em 2012 o segmento atingiu a marca de 12% de crescimento no volume físico de vendas, o que representou a comercialização de 44 milhões de m² de chapas de gesso. No período de janeiro a março deste ano, em comparação com o mesmo período em 2012, foi registrada uma alta de 13,5% no consumo de chapas para drywall, somando 10,4 milhões de m². A continuar nesse ritmo, o crescimento deverá bater recorde de vendas.

As chapas, com os seus dois versos de cartão recheados de gesso aditivado impressionam pela leveza e pela resistência. Isso, porque o pó de gesso nada mais é do que a rocha gypsita desidratada que em contato com a água vira pedra de novo. Além disso, para áreas molhadas ou que sejam mais propensas ao fogo, há versões especiais.

A Via utiliza o sistema drywall há mais de 20 anos como evolução tecnológica do processo construtivo dos seus empreendimentos. O engenheiro civil Moisés Lavocat afirma que a durabilidade de uma parede de drywall é a mesma de uma feita em alvenaria, mas o sistema possui diversas vantagens em relação ao convencional.

Mariana Saltarelli, gerente de projetos da Via Engenharia, recomenda o uso do drywall também para uma melhora na performance acústica dos ambientes. “Além de atender a todos os requisitos da nova norma da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) NBR 15575-1, que fixa as condições para avaliação da aceitabilidade do ruído em edificações habitacionais dentre outros e entrou em vigor no dia 19 de julho do presente ano, o drywall pode ter a sua performance melhorada a um nível de excelência com o incremento de alguns componentes que são adicionados à parede, além da própria variação da espessura das placas”, disse.

Por serem leves, Moisés Lavocat assegura ainda que as paredes podem ser erguidas em qualquer lugar que o morador desejar. “Nos ambientes vazados o drywall favorece inclusive a configuração do espaço de acordo com a necessidade e o gosto do proprietário”, concluiu o engenheiro.

O fornecedor de drywall, Matheus Vinnicius Alves, da Saint Gobain, empresa especializada do ramo, explica que outra vantagem do sistema é o processo de montagem. Em média duas pessoas são suficientes pra instalar as paredes em um apartamento ou em uma casa.  “Em um único dia, é possível montar o esqueleto de aço e instalar as placas de gesso. Com a alvenaria convencional, é preciso esperar a secagem para seguir nas demais etapas até que fique tudo pronto. Sem falar que é muito mais pesada que o drywall, exigindo estruturas de apoio mais robustas. Com o drywall é possível diminuir a carga do prédio e evitar o uso excessivo de concreto, um ponto favorável para o meio ambiente”, argumentou.

Segundo Matheus, numa comparação simples, para construir uma parede de 10 m² de drywall, são necessários 0,30 m³ de material, o que inclui três guias de aço galvanizado, oito placas de gesso acartonado, 400 parafusos e apenas 4 horas para a conclusão. Já uma parede de alvenaria para a mesma área – de 10m² – chega a pesar 5 vezes mais, exigindo um volume de 1,2 m³ de tijolos, areia, cimento, ferros e nada menos que 160 horas ou 6 dias para ser finalizada.

O drywall também consegue suportar prateleiras, quadros, portas, TVs de LED, entre outros. Para isso, Matheus recomenda que seja usado um imã para identificar onde está a armação de aço pois é nela que devem ser fixados os objetos mais pesados. Além do uso de buchas próprias para o sistema, que variam em função da carga e superfície, o ideal é que as primeiras montagens sejam feitas por um profissional capacitado, para a correta instalação.

A versatilidade do drywall permite que o sistema seja utilizado inclusive em banheiros, cozinhas e em outras áreas molhadas pois existem diferentes tipos de placas de gesso capazes de suportar intempéries. Por esse motivo, uma casa inteira pode ser edificada apenas com esta tecnologia. Segundo o fornecedor Matheus, uma construção de 300m² pode ficar pronta em até 30 dias, usando a mão de obra de apenas 3 pessoas.

 

Em média duas pessoas são suficientes pra montar as paredes de drywall de um apartamento ou de uma casa. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

O drywall consegue suportar prateleiras, quadros, portas, tvs de LED, entre outros. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

As chapas de drywall são cartões com recheio de gesso e aditivos. A versão verde é resistente à umidade, a rosa, ao fogo, já a branca é mais indicada para ambientes internos e secos. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

Paredes drywall aceitam todo tipo de acabamento: pintura, textura, azulejos, pastilhas, mármore, granito, papel de parede, lambris de madeira, etc. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

Drywall isola melhor os sons no que se refere à transmissão de ruídos. Para melhorar o desempenho acústico, pode-se preencher o vazio entre as placas com lã mineral ou de vidro. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

Depois de aparafusadas às placas, aplica-se uma fita especial e a massa que torna o conjunto uniforme. [foto: Associação Drywall – divulgação]
 

Vantagens do drywall

Rapidez e limpeza na montagem – Uma parede, um forro ou um revestimento em drywall é executado com muita rapidez e gera pouco entulho.

Reformas fáceis – Em razão da rapidez e da limpeza na montagem dos sistemas drywall, reformar um imóvel ficou muito mais simples. O sistema permite soluções criativas, como uso de curvas, recortes para iluminação embutida e muito mais.

Manutenção sem quebra-quebra – A mesma vantagem de rapidez e limpeza está presente na hora de consertar um vazamento de água, por exemplo. Nesse caso, basta fazer com um serrote de ponta um pequeno recorte na chapa da parede, suficiente para permitir o conserto do encanamento, e depois fechar a parede com o mesmo pedaço de chapa. Um profissional especializado executa esse tipo de serviço em apenas um dia, sem o tradicional quebra-quebra das paredes de alvenaria.

Precisão e qualidade de acabamento – Paredes de drywall são precisas nas suas medidas e proporcionam uma qualidade de acabamento superficial única, perfeitamente lisa.

Isolamento de ruídos – Isolam melhor os sons e contribuem para tornar os ambientes mais confortáveis no que se refere à transmissão de ruídos.

Ganho de área útil – Como as paredes drywall são mais estreitas do que as de blocos ou tijolos, há um ganho na área útil de 5%, aproximadamente. Por exemplo: em um apartamento de 100 m2, o ganho será de 5 m2, equivalente a 10 metros frontais de armários embutidos.

Fonte:

Associação Drywall – http://www.drywall.org.br
http://mulher.uol.com.br/casa-e-decoracao/noticias/redacao/2010/04/16/conheca-as-vantagens-e-desvantagens-do-drywall-antes-de-escolher-sua-parede.htm
http://www.isoline.com.br/drywall-deve-crescer-12-por-cento-em-vendas-no-brasil/

Faça um comentário sobre esta notícia