destaque-bebe-Foto-1

Esperando o bebê

Decorar o quarto do bebê é algo especial para pais e mães, sejam eles de primeira, de segunda ou de muitas viagens. É o momento em que eles transmitem para o ambiente tudo aquilo que desejam para a criança: alegria, felicidade, amor, crescimento, saúde. E tudo isso se materializa em cor, móveis, objetos, brinquedos e tudo mais que um quarto de bebê pode comportar. No entanto, para alcançar esses objetivos é preciso criar um ambiente harmônico, aconchegante e confortável onde eles possam se sentir seguros. O Estilo VIA foi falar com uma especialista que deu dicas preciosas e atemporais que vão ajudar você na hora de decorar o quarto do seu bebê.

Comece pela escolha das cores. A designer de interiores Adriana Berford aconselha usá-las com cautela. “Quartos muito coloridos e com cores fortes são estimulantes para os bebês, que podem ficar muito agitados e não conseguir dormir direito”, exemplifica Adriana. “Se os pais querem colocar cor no quarto de seus filhos, o ideal é optar por cores mais suaves tanto no mobiliário como nas paredes e objetos”, completa. Os tons pastéis como, o rosa-bebê, o azul-bebê, o amarelinho e o verde-água e os neutros como, o bege, acalmam e deixam o ambiente mais suave e aconchegante. Cor nada tem a ver com o sexo do bebê. Se você quer dar um toque de rosa no quarto do seu filho ou de azul no da sua filha, não se preocupe e vá em frente.

Escolhida a cor, passe para o estilo. Este é mais um quesito em que o sexo do bebê não é determinante, porque como dissemos no início desta matéria, isso está mais ligado aos desejos dos pais. É uma questão do estilo: romântico, moderno, temático, retrô, é só escolher entre as muitas opções. Um quarto moderno, por exemplo, pode ter um toque mais suave, tudo vai depender dos elementos que compõem o ambiente como lustres, colchas e cortinas.

Segunda etapa vencida, é hora de pensar no item principal, o berço. Desde o início deste ano, o Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro) determina que os berços devem ter travas de segurança para evitar que o bebê possa abrir ou abaixar a grade, bordas arredondadas ou chanfradas, entre outras regras.

Mães precisam de conforto na hora de amamentar e de colocar os pequenos para dormir. Por isso, uma cadeira confortável, que pode ser uma poltrona ou uma cadeira de balanço – de preferência com braços –, é sempre bem-vinda. Conforto também é importante na hora de trocar as fraldas deles. Para isso, o móvel tem que ser pensado de forma ergonômica para evitar as dores nas costas.

Para Adriana, as necessidades dos projetos continuam as mesmas desde o tempo de nossas avós. “O que mudou foi o ritmo das mamães, que normalmente trabalham fora e precisam da ajuda de babás ou enfermeiras, além de um ambiente de fácil manutenção”. A cama extra no quarto é quase um item indispensável para receber a mãe ou a babá e, como o espaço criado para o bebê é temporário, vale investir em móveis que podem ser adaptados para quando a criança crescer. “O segredo do reaproveitamento está em um projeto inteligente, com espaços mais dinâmicos que possibilitem a mudança”, afirma a designer. “Quando a criança crescer, o trocador vira mesa de estudo e o berço, cama”, completa.

Inspire-se nas dicas da designer Adriana Berford e crie um ambiente acolhedor para o seu bebê

 

http://www.inmetro.gov.br/imprensa/releases/selo-obrigatorio-bercos.pdf

Recomendações do Inmetro

Principais cuidados que os pais devem ter ao escolher um berço

  • observar a presença do Selo de Identificação da Conformidade do Inmetro, que deve estar exposto no berço e na embalagem do produto após o prazo de adaptação às normas;
  • verificar se as bordas e partes salientes são arredondadas ou chanfradas e isentas de quaisquer rebarbas e arestas;
  • rótulos e decalques colados não podem ser utilizados nas superfícies internas das laterais e extremidades do berço;
  • uma vez dentro do berço, a criança não pode conseguir levantar a base do colchão ou a base do berço;
  • as laterais móveis devem ser equipadas com um sistema de travamento;
  • as instruções de uso devem ser estar em língua  portuguesa;
  • todos os berços devem ser permanentemente marcados com informações sobre a razão social, nome ou marca comercial registrada do fabricante, distribuidor ou varejista, juntamente com meios adicionais de identificação do produto;
  • caso o colchão não seja uma parte integrante do berço, deverá existir uma marcação, na base do berço, recomendando o uso de colchões com espessura máxima permitida de 120mm conforme a ABNT NBR 13579-1.

A designer de interiores Bel Lobo deu várias dicas em seu programa, o Decora, que passa no canal GNT, para decorar um quarto de bebê. Confira:

http://gnt.globo.com/decora/videos/_2168539.shtml

Faça um comentário sobre esta notícia