Il-Vero-Alfredo

Il Vero Alfredo

Era 30 de novembro de 2013, às 7h30 de uma manhã de sábado preguiçosa, quando chegou uma mensagem de Ines di Lelio, onde se lê: “Tenho o prazer de contar a história de meu avô, Alfredo di Lelio, criador do “Fettuccine Alfredo”, em 1908, no restaurante de sua mãe, Angelina, em Roma, na Piazza Rosa (A Piazza desapareceu em 1910 para dar lugar à construção da Galeria Colona/Sordi)”. Você, leitor atento, se perguntará, porque esta senhora que mora do outro lado do Atlântico escreveria para o Estilo Via para falar do avô e de seu macarrão? Muito bem observado, caro leitor.

Em 28 de novembro de 2013, dois dias antes de receber a mensagem, o Estilo Via publicou a matéria Cozinha italiana para refletir. Um Codex Alimentarius criado pela Academia Barilla sobre dez pecados gastronômicos cometidos ao redor do mundo em nome da cozinha Italiana e publicado pelo jornal italiano La Republica.  Se você já leu, relembre clicando aqui. O mesmo vale para você que não leu ainda, mas pretende ler. O item número 9 da lista do Instituto Barilla diz que: “O “Fettuccine Alfredo” é famoso somente do outro lado do oceano“. O documento informa que o prato existe, foi criado por Alfredo di Lelio em Roma, mas na Itália não é conhecido, a não ser pelos turistas norte-americanos.  Informação a qual Ines, a neta do Alfredo, refuta e, diz que o restaurante é parte dos Negócios Históricos de Excelência da Cidade de Roma.

Pra tirar a história a limpo, a redação do Estilo Via enviou vários e-mails para o restaurante em questão com cinco perguntas em inglês, uma vez que o texto postado – uma espécie de resposta pronta – estava escrito em língua anglo-saxã. Nenhuma resposta. Até que, decidimos mudar de estratégia e traduzimos do nosso inglês macarrônico para a língua vernácula de Dante Alighieri, o italiano.  Bingo! Duas horas depois, o primeiro contato, um e-mail da Ines, escrito em italiano, claro, informava que havia recebido as perguntas e, assim que tivesse tempo, responderia com prazer.

Dito e feito. Depois de exatos dois meses, no dia 31 de janeiro, Ines nos responde. Pela primeira mensagem, já sabíamos que o prato havia sido criado em 1908, que Alfredo deixou o restaurante da mãe, abriu seu próprio estabelecimento em 1914 no centro de Roma e foi aí que sua fama se alardeou pela cidade e décadas depois pelo mundo.

Urbi et orbi

Ines conta que o homem sério em família e também um avô muito querido e generoso criou a receita para ajudar a mulher a se recuperar do parto de seu filho, Alfredo II, que vem a ser o pai de Ines. ”Ele cozinhou a pasta com manteiga e queijo parmesão e logo em seguida ela se sentiu forte e sugeriu que o prato passasse a fazer parte do menu do restaurante”.

À Roma e ao mundo. A fama mundial começou em 1927, explica a neta. Em 1927, Douglas Fairbanks e Mary Pickford, famosos pelos filmes da era do o cinema mudo, estavam em Roma e costumavam almoçar e jantar no Alfredo. Antes de deixar a cidade, presentearam o dono do restaurante com um garfo e uma colher de ouro, o que tornou o Alfredo instantaneamente famoso em Hollywood. Foram anos incríveis. Então, veio a Segunda Guerra Mundial e, abalado pela crise que se instaurou em toda a Europa, em 1943, Alfredo vendeu o restaurante.

Alfredo voltou à cena romana em 1950, quando, junto com o filho, reabriu o restaurante, desta vez, na Piazza Augusto Imperatore nº 30 com o nome de Il Vero Alfredo. Famoso, o restaurante recebeu estrelas internacionais como a atriz Ava Gardner, o cineasta Alfred Hitchcock, Pelé e Falcão, o imperador de Roma. Desde então, tem sido gerenciado pela família.

Segundo Ines, existem muitos restaurantes com o nome Alfredo e outros tantos que dizem servir o fettuccine criado pelo avô. “Por um lado, me entristece ver tantas receitas que nada tem a ver com a original, mas é impossível para nós controlar uma receita tão famosa”, afirma. Ela conta que já viu receitas que levam cogumelos, frango, ervilhas e outras coisas mais. “Por outro, é motivo de orgulho para mim e minha família que o nome do meu avô tenha se espalhado por todo o planeta, graças, claro, ao famoso casal de Hollywood”. Ines encerra dizendo que a receita original é feita somente com manteiga e queijo parmesão. “E só!”.

Nó na garganta

Para a glória de Alfredo di Lelio e a alegria de seus descendentes, no dia 7 de fevereiro, foi celebrado o Dia Nacional do Fettuccine Alfredo. A data marca o dia da criação do prato. No entanto, para muitos italianos – como informa o Codex Alimentarius da Academia Barilla, que deu origem a esta matéria -, esse homem continua sendo um ilustre desconhecido. Italianos da gema, da clara, do pecorino e da Sicília, afirmaram de pé junto que nunca haviam ouvido falar no prato nem no restaurante nem no Alfredo. Alguns deles, que moraram em Nova York, Amsterdã e Brasília contam que certa vez viram em um cardápio de restaurante de uma dessas cidades o nome do prato, mas, como não conheciam não se atreveram a pedir. “Não é cozinha tradicional italiana”, sentenciou um deles.

Não aceite imitações! Aprenda a fazer o Fettuccine Alfredo, Il Vero.

Ingredientes

Para quatro pessoas

  • 400g de massa para fettuccine
  • 200g manteiga sem sal em temperatura ambiente
  • 400g de queijo parmesão de boa qualidade, ralado na hora
Preparo

Cozinhe a massa em água e sal a gosto até ficar “al-dente”. O tempo de cozimento está escrito na embalagem. As massas feitas de grano duro levam em média 8 minutos.

Enquanto cozinha a massa, coloque metade da manteiga em uma tigela funda bem quente. Escorra a massa, mas guarde um pouco da água do cozimento (cerca de duas conchas) e jogue no prato quente. Junte a massa, o restante da manteiga e o queijo ralado. Misture tudo com a ajuda de uma colher e um garfo – lembre-se dos talheres de ouro dados pelos atores a Alfredo – até formar um molho de consistência cremosa. Sirva imediatamente.

Vai a Roma? Não deixe de visitar Il Vero Alfredo

Piazza Augusto Imperatore, 30
Telefono: +39 06/68.78.734   +39 06/68.78.615
Email: info@ilveroalfredo.it

Um comentário para “Il Vero Alfredo”
  1. Vivian Campanelliem 29 May 2014 às 11:23

    Olá estilo via! Parabéns pelo post (e pelo blog também, que estou conhecendo agora)! Também falei do Il Vero Alfredo no meu blog! E surpreendentemente a Ines deixou lá um comentário!!! Que atenciosa né!?

Faça um comentário sobre esta notícia