Erling Kagge - autor do Guia para o Colecionador de Arte Pobretão

O guia para colecionar arte gastando pouco

Você quer saber como se tornar um grande colecionador de arte em apenas 10 lições e, melhor ainda, com pouco dinheiro? Então, leia a matéria abaixo que pinçamos da ArteNet. Nunca é demais lembrar que bom gosto e dinheiro não necessariamente andam juntos e que nem sempre bons produtos, como obras de arte, estão longe do nosso alcance.

Erling Kagge é um colecionador de arte norueguês. Explorador de terras insondáveis, montanhista, editor e advogado, ele ganhou fama por ser a primeira pessoa a caminhar sozinha até o Polo Sul, além de escalar o Monte Everest. Hoje, ele dirige sua própria editora, a Kagge Forlang. Um dos seus mais recentes lançamentos é o livro ¨Guia de um pobre colecionador para comprar grandes obras de arte¨ no qual o próprio Kagge narra como ele construiu sua impressionante coleção de arte apesar de ter um orçamento limitado. Só para ter ideia, em sua coleção podem ser encontradas obras de Wolfgang Tillmans, Raymond Pettibon, Richard Prince, Tauba Auerbach e Urs Fischer, simplesmente alguns dos principais nomes das artes visuais do mundo e que estão presentes nos acervos dos mais importantes museus de arte contemporânea do planeta.

Como o livro ainda não chegou às livrarias brasileiras e só está disponível na língua materna do autor e em inglês, listamos aqui 10 das 24 dicas de Kagge, verdadeiras pérolas de sabedoria, para que você também possa começar a sua coleção de arte ou ampliá-la.

1. Seja obcecado

Kagge diz que, para obter o melhor valor, você deve ser obsessivo na pesquisa para capturar o objeto de desejo. Ele cita o famoso marchand Lord Duveen, que, em pé em frente à ponte e torre de JMW Turner, proclamou: “Se eu tivesse essa imagem, eu não quereria nada mais no mundo”. De acordo com Kagge, é assim que se deve aproximar de cada aquisição.

2. Aceite que não existem regras, apenas transações

O mercado de arte é muito diferente dos mercados convencionais porque há pouca regulamentação. Práticas como comércio privilegiado, manipulação de preços e cartéis são comuns. O conselho de Kagge é estar ciente dessas práticas.

3. Cultive bons olhos, nariz e ouvidos

Às vezes é difícil diferenciar entre arte boa e arte ruim. Kagge recomenda não apenas treinar os olhos, mas também o nariz e os ouvidos. Ou seja: ouvir o que as pessoas estão dizendo. Kagge relembra um encontro com o lendário marchand Irving Blum, que disse a ele que, ao ouvir o nome de um artista mencionado por duas ou mais pessoas em que confia, ele sempre foi ver tais artistas.

4. Tenha contato com pessoas do mundo da arte

Para obter o máximo dos investimentos, pode ser muito útil cultivar relacionamentos com agitadores do mundo da arte. Amizades pessoais com assessores, artistas, curadores, colecionadores, marchands e galeristas oferecem perspectivas inestimáveis sobre arte contemporânea e também informações privilegiadas que outros podem não ter acesso.

5. O galerista detém a chave

Galerias têm um papel fundamental na introdução de artistas para colecionadores. Kagge diz que é crucial conhecer vários bons galeristas que representam os artistas que você está tentando colecionar.
Ele menciona que isso ajuda na compra regular a partir de um punhado de galerias, já que a sua lealdade será recompensada, porque os galeristas vão oferecer a você as melhores obras ou descontos.

6. Não espere ganhar dinheiro

Colecionar arte com a intenção de ganhar dinheiro é o maior erro que um colecionador pode cometer. Kagge aponta que a arte não foi feita como um objeto de especulação. O real valor de comprar e colecionar vem do prazer de ter uma grande obra em casa.

7. Seja o primeiro a ter acesso às melhores obras

Ser o primeiro a ver uma obra, preferencialmente antes dos vernissage, é a melhor chance de acesso às melhores obras. O mesmo ocorre com a compra de trabalhos de artistas em início de carreira. Atualmente, a carreira de um artista e a trajetória de preços podem ser meteóricas. Kagge então admite que gosta de comprar de artistas em início de carreira porque, depois, pode ser que isso não seja mais possível.

8. Aceite que o melhor preço pode não ser o preço mais baixo

Com frequência, colecionadores têm de pagar preços altos para ter as melhores peças. É melhor comprar uma obra fantástica do que cinco ou dez medíocres. Não tenha medo de investir na peça correta.

9. Compre de forma oportuna em leilões

Leilões oferecem oportunidades fantásticas para comprar obras de grande qualidade de artistas em meio de carreira, desde que não muito elogiados ou muito esquecidos. Mas não esqueça que as comissões das casas de leilão podem ser de até 25%.

10. Seja “legal” com o dinheiro, ou dinheiro não leva desaforo

É importante não desanimar de continuar atrás de uma obra pela qual você não pode pagar. Muitas galerias estão preparadas para negociar os termos de uma venda e o pagamento em prestações é prática comum. No entanto, Kagge aconselha a pagar o mais rapidamente possível, caso você tenha o dinheiro. Muitos colecionadores têm o hábito de demorar para pagar, mas pagando rapidamente ou na hora certa você vai ganhar a consideração dos galeristas.

Quer saber quem são os artistas que você não pode deixar de conhecer? Acesse aqui. Veja ainda os espaços culturais dedicados a apresentar a produção de artistas de Brasília. Acesse http://goo.gl/TscgEv.

Aproveite para conhecer o Via Sublime, o mais recente empreendimento da Via no Noroeste, Brasília. Simplesmente irretocável.

Faça um comentário sobre esta notícia